Vale a pena reconhecer os empregados? Todas as pesquisas afirmam que sim.

A Globoforce divulgou recentemente uma série de estatísticas sobre o impacto das estratégias de reconhecimento nos empregados. Trata-se de uma coletânea de diversos estudos renomados. Selecionei algumas e publiquei a seguir. Quem quiser, pode seguir a @globoforce no twitter e acompanhar outras divulgações.

Cerca de 75% das organizações têm um programa de reconhecimento, apesar do fato de que apenas 58% dos funcionários acham que suas organizações o tenham ( Bersin by Deloitte, The State of Employee Recognition , 2012).

Oportunidades de carreira, reconhecimento e reputação corporativa são direcionadores de engajamento (Aon Hewitt 2012 Global Trends in Employee Engagement).

Organizações com programas de reconhecimento eficientes tiveram turnover voluntário 31% menor que organizações com programas pouco efetivos  (Bersin by Deloitte , The State of Employee Recognition , 2012).

Somente 14% das empresas oferecem ferramentas adequadas para programas de reconhecimento e recompensa  (Aberdeen Group, The Power of Employee Recognition , 2013).

41% das empresas que usam reconhecimento peer-to -peer têm visto aumentos acentuados positivos na satisfação do cliente (SHRM / Globoforce Employee Recognition Survey, 2012).

46% dos gerentes seniores consideram programas de reconhecimento como um investimento e não uma despesa.  (WorldatWork , Trends in Employee Recognition , 2013).

Ser capaz de acompanhar a eficácia dos esforços de engajamento e reconhecimento pode ajudar as organizações a alinhar melhor o envolvimento com os objetivos de negócio e melhorar o desempenho e  43% das organizações “Best- in-Class” têm acesso a métricas sobre os esforços de reconhecimento , em comparação com 18% das demais. ( Aberdeen Group, The Power of Employee Recognition , 2013).

As organizações com programas de reconhecimento estratégicos apresentam níveis de frustração 28,6% mais baixos do que as empresas sem programas de reconhecimento. ( SHRM / Globoforce Employee Recognition Survey, 2012).

Reconhecimento dos gestores foi avaliado como o mais alto motivador para o desempenho , batendo outros incentivos não monetários e financeiros, pela maioria dos trabalhadores (67%)  (McKinsey Motivating People , Getting Beyond Money , 2009).

Quando as companhias investem em 1% ou mais da folha de pagamento em reconhecimento,  85% delas notam um impacto positivo no engajamento. ( SHRM / Globoforce Employee Recognition Survey, 2012).

Reconhecimento, portanto, é um assunto para estar no radar da comunicação com empregados, assim como, óbvio, na agenda de recursos humanos.

Comments

comments

Artigos relacionados

Tem algo a dizer? Fique a vontade!

 
Seguir

Receba os posts em seu email.

Cadastre seu email